RESENHA: LIVRO FRANKENSTEIN

“Os diferentes acidentes da vida não são tão mutáveis como os sentimentos da natureza humana”.  E assim iniciamos falando de um clássico da literatura. Frankenstein foi escrito pela autora Mary Shelley, e a edição que eu tenho é uma Deluxe Edition da Darkside, com 304 páginas, divididas entre a principal obra da autora, e alguns outros trabalhos dela.


20180211_150617

 

Sinopse:A Edição Definitiva De Uma Obra-Prima Do Terror. Duzentos anos após sua criação, Frankenstein continua vivo – e mais atual do que nunca. Conheça a história original, com toda a sensibilidade e o terror que o cinema nunca conseguiu mostrar. Um cientista obcecado que desafia as leis da natureza e põe em risco a vida daqueles que ama. Uma criatura quase humana que deseja ser um de nós, mas só encontra medo, ódio e morte pelo caminho. A obra-prima de Mary Shelley que deu origem ao terror moderno está de volta, numa edição monstruosa como só a DarkSide® Books poderia lançar: capa dura, tradução primorosa, ilustrações inéditas do artista brasileiro Pedro Franz, além de quatro contos extras que versam sobre o mesmo tema do romance. Impresso em duas cores: preto e sangue. Um livro que todos deveriam ler e reler ao longo da vida. A edição definitiva para se guardar para sempre. Frankenstein é um dos primeiros títulos da coleção Medo Clássico, sempre com texto integral, extras, notas e ilustrações exclusivas de renomados artistas brasileiros, em um projeto feito de fã para fã por quem ama e reverencia os grandes mestres da escuridão.

Victor Frankenstein nasceu de um jovem casal aberto ao mundo, gostavam de viajar, e de proporcionar o melhor ao filho, quando adotaram Elizabeth decidiram fincar raízes, e tiveram mais dois filhos. Victor era um garoto encantador e desde cedo mostrou grande interesse ao estudo da filosofia natural, quando ainda era adolescente os pais o incentivaram a ir estudar na Alemanha, porém, antes de sua partida a mãe morreu. Após, ele embarcou, ainda em luto, para sua nova jornada. Lá ele conheceu grandes mestres, e estudo frequente e a curiosidade , juntamente com sua dotada inteligência, fizeram com que ele criasse uma certa obsessão por dar vida a seres inanimados. Em sua busca desenfreada, achando que estaria fazendo um grande bem para humanidade, se afastou dos colegas, professores e tão pouco escrevia cartas para a família.

20180211_150658

Quando acabou sua “obra” e o ser ao qual ele havia criado despertou, causou nele uma enorme repulsa, misturado ao medo, e com toda a negligência deixou que sua criatura escapasse e aprendesse sobre o mundo sozinho. Logo, Victor ficou muito doente, foi cuidado por seu melhor amigo, e voltou a sua terra natal com a notícia de que seu irmão mais novo havia tido uma morte estranha.

Quando ele reencontra-se com sua criação, passa a conhecer a difícil história daquele ser, que teve que se virar sozinho, com todo o horror que era dirigido a ele pelos poucos que o viam. Porém, o que era de certa forma malvado dentro dele, foi alimentado pela sociedade da época. Assim, com algumas tragédias nas costas, Victor inicia uma caçada por justiça.

Paro de me estender aqui sobre tudo que acontece depois, que não são poucos fatos, pois diferente de tudo que vimos em filmes sobre esse escrito, não chega aos pés e aos detalhes da leitura. Aliás, eu nunca havia parado para analisar essa história com tanto afinco. Frankenstein é uma escrita antiga, porém com reflexões totalmente atuais. A autora fala sobre preconceito, compaixão e sobre o  bem e o mau, onde nem todo ser é extremamente mau ou bom, sendo o criado ou a criatura, porém o que você escolhe fazer com determinado acontecimento é que vai direcionar você a consequência final, afinal a opção é sua sobre que lado ficar. Eu simplesmente amei o livro, e deixo aqui um pedido para que você o leia também, a reflexão sobre o ser é sempre bem vinda.

20180211_150758

Sobre os outros contos: Confesso que desanimei ao ler os dois primeiros “Valério” e “Roger Dodsworth”, e quase achei que não valia a pena a leitura dos próximos, porém gostei muito mesmo de “Transformação” e “O imortal mortal”. Aliás, se você já leu, me conta sua opinião aqui embaixo.

Anúncios

PROJETO ESTANTE NACIONAL

Olá, pessoal! Estamos de volta com o Estante Nacional, um projeto idealizado pelo GBU – Grupo Blogueiras Unidas, que tem como objetivo divulgar um autor nacional todo mês. Já passaram pela nossa Estante o Lucinei M. Campos, a Malu Simões, a Suzana Chaves, a Nuccia de Cicco, a Judie Castilho, a Aline Cabral e a Juliana Daglio.

Este mês a autora convidada foi a Evelyn Santana e além dos blogs componentes do GBU (As 1001 Nuccias, Clube do Livro e Amigos, CuraLeitura e Entre Livros & Pergaminhos), alguns blogs parceiros da Evelyn também participarão. São eles: Biblioteca de OpiniõesCupcakeland, Lendo com a Brunney, Livros da Beta e Livros em Retalhos.

Conheça um pouco sobre a autora e suas obras.

Continuar lendo

RESENHA : LIVRO ACREDITE EM MIM

Será que somos vítimas da nossa própria sorte? Começamos o livro de hoje nos perguntando isso. Acredite em mim foi escrito pela autora Bella Borges, publicado pela Editora Kazuá, e tem 212 páginas de uma história encantadora.

20180128_002747

Sinopse: Acredite em Mim não é apenas o nome do seu livro, é um chamado para vida jovem que se dividem entre o medo da mudança e a carícia do vento. A escritora Bella Borges conduz o leitor para uma escrita cheia de emoções. Com um olhar sensível, pitadas de romantismo o livro é um convite para quem aprecia uma história de amor. O texto possibilita que o leitor possa ponderar sobre amizade, confiança e família. O enredo apresenta uma rede emaranhada de conflitos, deliberações e escolhas que nos identificam como ser humano. Escrito em primeira pessoa, a protagonista Ronie se destaca seu lado sincero e a sua veracidade. Os outros personagens também são bem construídos, sendo peças fundamentais da história. A autora nos demonstra que todo o final pode ser o começo para algo e repleto de surpresas; navegar no infinito ainda é possível para Bella Borges.

Ronie é uma jovem adulta de 21 anos, formada em Letras, inteligente, tímida, introvertida e extremamente quieta, ao menos por fora. Mora com a avó e a irmã de 17 anos, perdeu os pais quando tinha 7 anos. Ela e os  pais estavam passeando de barco quando uma tempestade aconteceu, e a embarcação acabou virando.

Ronie tem medo de barcos e do que eles podem tirar dela. Cresceu sendo conhecida por toda a cidade, mas não de uma maneira positiva, não pelo menos para ela. Ela era conhecida como uma sobrevivente, porém ela não considerava sorte ter ficado viva, afinal ela tinha perdido o que tinha de mais valioso. A partir de toda essa “fama” ela ficou um pouco traumatizada, não só com barcos, mas com pessoas, odiava exposição, quase não saia em público, e quando as pessoas olhavam para ela na rua, ela sempre achava que não era positivamente. Por conta do comportamento introspectivo ela começou a ser chamada de estranha. Com uma autoestima extremamente baixa, seus únicos companheiros eram o livros, a avó e a irmã Jane.

 

 

Um certo dia, com todo seu charme, Jane fez um chantagem emocional e levou Ronie em um campeonato de barcos. Nesse dia, Ronie viu competindo uma pessoa que mudaria sua vida, Daniel Miller, um dos maiores  e mais famosos campeões de corrida de barco, menos para Ronie, que  não estava muito por dentro desse tipo de competições. Depois de uma troca de olhares, os caminhos desses dois jovens começaram a se cruzar o tempo todo, no restaurante, nas festas, no parque, no café. Eles começaram a se falar e se encontrar, e começaram a partir daí uma história de amor, amizade, companheirismo, união e superação.

Ronie se vê frente a tudo que nunca imaginou estar, romance, exposição pessoal, valor e o mais importante, frente a superação dos seus traumas. Claro que estar a frente de todos esses obstáculos emocionais são somados a obstáculos externos, como a mãe de Daniel, a exposição a inveja, e a alguns elementos a mais que não vou relatar aqui, porque quero muito que vocês leiam esse livro. Daniel se mostra base importante para evolução da nossa protagonista, ela cresce, amadurece, se reinventa e se supera. Os outros personagens são de extrema importância também, como a irmã de Daniel, que se torna uma grande amiga de Ronie, e Jane que amadurece durante toda a história, se tornando uma das pessoas mais compreensivas com Ronie, não desistindo dela nunca.

20180128_002902

Bella nos leva a refletir nesse livro, que não importa o que aconteça, nosso destino muda conforme a maneira que olhamos para os acontecimentos. Eu posso ver as coisas somente como um caos, me encolher e dizer “adeus mundo” ou, eu posso tentar ver o que posso aprender com cada situação, levantar e seguir em frente, claro que muitas vezes não conseguimos esse feito sozinhos, a compreensão de quem está ao nosso lado é fundamental. Porém, o destino é nosso, e o que vamos fazer com ele a partir daí está nas nossas mãos. Eu amei Acredite em mim, é uma leitura leve, gostosa, e apesar de todo o drama, de algumas lágrimas rolarem, você também vai dar muitas risadas. Foi apaixonante viver essa história junto com a Ronnie. Obrigada Bella, seu livro é incrível.

 


Bella Borges também escreveu Capuleto, um livro sem igual, que você pode conferir a resenha aqui.

 

RESENHA : LIVRO SEMENTES ESQUECIDAS NO JARDIM

Nada é por acaso. É isso que fala a sinopse do livro de hoje, as vezes escolhemos os livros, as vezes eles nos escolhem. Sementes  Esquecidas no Jardim  foi escrito pelo autor James Jaworski, publicado pelo Grupo Editorial Scortecci, e tem 287 páginas com conjuntos de palavras que te fazem refletir sobre tudo. O livro intercala a história de alguns personagens.

20180128_002943

Sinopse:Sementes Esquecidas no Jardim aborda a origem de certos eventos que potencialmente têm a capacidade de determinar o destino e ventura de cada um dos personagens. Harmoniza fatos corriqueiros dentro de uma atmosfera mística de forma magistral. Com frequência assalta e provoca o leitor, convidando-o a refletir sobre vários aspectos de sua vida. Confronta o livre-arbítrio versus a sorte de cada um. Examina as ações e sugere as consequências resultantes. Nada é por acaso. Tudo isso recheado de histórias envolventes e cativantes de romance, suspense e ação, e coroado com um final eletrizante de tirar o fôlego e repleto de sementes esquecidas no jardim. Definitivamente um livro para quem quer mergulhar no oceano dos mistérios da experiência humana e passar a vê-la sob uma nova perspectiva.

Jaqueline vinha de uma família tradicional, era estudante de direito, namorou desde a adolescência um amigo de infância, o Juarez. Porém, durante a faculdade e com o amadurecimento, ela percebeu que não queria passar com ele o resto de sua vida, acabou conhecendo Jack, e os dois se apaixonaram. Jaqueline fez tudo conforme manda o figurino, ou talvez ela tenha achado que fez, antes de se envolver com Jack ela terminou tudo com Juarez, após Jack a pediu em casamento. Juarez não aceitou, e envenenou a cabeça do pai de Jaque, este que já bebia muito, não aceitou ser “afrontado”, pois dizia que a filha dele só teria um homem.  Juarez em sua impulsividade e egoísmo não pensou que poderia gerar uma série de consequências com seu ato. Após aquilo houve uma tragédia.

Marcelo, Robson e Rafael eram adolescentes. Eles estavam na casa de Marcelo tomando banho de piscina. Todo adolescente gosta de fugir as regras, mas nem sempre param para pensar no que isso implica. Naquele dia, entre as brincadeiras, eles encontraram uma garrafa de cachaça entre os arbustos. Marcelo sabia que a garrafa era do jardineiro, mesmo assim ele e os amigos decidiram pegar algo que não era deles, após uma tarde de bebedeira, os irmãos Rafael e Robson perceberam que haviam passado da conta e decidiram ir embora, deixando o amigo sozinho na piscina, ainda mais bêbado que eles. Então, aconteceu uma tragédia.

20180128_002959

Essas duas histórias iniciais deram sequência a uma série de acontecimentos irreversíveis. Cada passo dado trouxe uma série de consequências para quem era culpado de alguma coisa, e para quem não tinha feito absolutamente nada.  Juarez e Jaqueline mudaram a história deles, dos pais dela, de Jack, dos pais dele e de tudo que aconteceu depois. Robson, Rafael e Marcelo mudaram a vida deles, das duas famílias, do Jardineiro e da sua família, das pessoas que conviveram com eles a partir daí.  E o mais impressionante nessa história, é que nela acontece aquilo que chamamos de Efeito Borboleta, quando paramos para analisar, o que mudou o destino de cada um deles, muitas vezes, vinha de uma asa que foi batida antes de tudo, as vezes anos antes de tudo.

Gostei muito do livro, o autor te faz divagar sobre livre arbítrio e destino o tempo todo, e isso te faz repensar em tudo que você fez, faz ou vá fazer.  Dá para aprender muito com ele, e vocês sabem o quanto amo aprender com os livros. Antes de cada capítulo James conta uma espécie de parábola e isso é fascinante, porque te dá todo um sentido diferente para o que irá ser contado após.  Obrigada James pela obra maravilhosa que você escreveu. Indico esta leitura para qualquer pessoa. Não acredito que tenha alguém que não vá gostar.

20180128_003014

O autor tem ainda mais três obras, são elas Contos & Crônicas – Iluminação, Estamos Todos Adormecidos e Quintessência de Um Momento.  Já recebi os três livros também e não tenham dúvidas que eu estou louca para ler.


Você encontra três dos livros na Livraria Asabeça, seguem os links, exceto o Livro Iluminação, que pode ser encontrado direto com o mesmo, caso tenham interesse me mandem uma mensagem que passo o endereço eletrônico do autor:

RESENHA: LIVRO CELTICOS – O INÍCIO “DUNCAN MCANDREWS”

Eu amo histórias de vampiros, fantasmas, bruxas, e de todo e qualquer ser sobrenatural , então vamos falar hoje sobre Celticos – O Início, do autor Enrico Barale, publicado pela Editora Scortecci, com 346 página fascinantes.

20171126_203900

Sinopse: Duncan McAndrews não é um vampiro que se encontra facilmente nos livros de literatura fantástica. Dono de poderosos dons e fundador de um clã que reúne, quase sempre, vampiros com alto senso de justiça e companheirismo, sua figura é sedutora e envolvente. Uma história rica nos cenários, nos detalhes e na construção das personagens, capaz de prender a atenção e despertar o interesse pelo próximo passo de cada integrante durante toda a leitura. Por fugir do comum, não trazendo a costumeira luta entre humanos e vampiros, mas a luta entre seres de várias naturezas, Celticos – O início nos prova que o tema se trata de uma fonte inesgotável de inspiração para personagens e histórias. O surpreendente final é, ao mesmo tempo, a conclusão de um ciclo e a semente de uma nova história…”

Duncan McAndrews  nasceu em 1430 em um vilarejo chamado Eskualt, onde vivia em uma fazenda com a família. Quando completou 16 anos seu espírito aventureiro fez com que jovem procurasse novos horizontes, saiu para caçar e não voltou mais. Depois de algum tempo caminhando encontrou as ruínas de um antigo castelo, um lugar que mesmo em ruínas parecia majestoso. Duncan passou uma noite ali, onde escondeu alguns objetos que viraram tesouros para ele, e outros ele levou embora na sua futura jornada. Um dos objetos encontrados foi a coroa do Rei Klaus Young. O lugar trazia ao garoto sensações estranhas, como se alguém o observasse.  No outro dia o garoto caminhou novamente em direção ao seu destino, o mar.

20171126_203923

No porto, Duncan pegou um navio e assim começou sua jornada de anos no mar, fazendo parte de tripulações, de conquistas, de grandes lutas, enfim da aventura que tanto procurava. Conheceu inúmeras pessoas e histórias, e se tornou um homem admirado nos mares por quem o conhecia. Após alguns anos o jovem voltou ao castelo, em sua estadia nas ruínas, teve a mesma sensação  de ser observado, porém desta vez se confirmou. O próprio rei Ivan estava a espera de Duncan, para fazer uma proposta tentadora, uma aventura eterna. Duncan aceitou, e então ocorreu a transformação do jovem mortal em um vampiro com muitos poderes, porém inicialmente sem muita habilidade.

20171126_203941

“Tive tempo apenas de dizer que não estava com medo, depois disso só recordo de suas presas me atingindo vorazmente. Quer saber? A vida não passa diante dos olhos enquanto se esvai.”

Ivan ensinou tudo que podia (ou queria) para Duncan, e o levou para o seu território, porém não para ser um convidado, ou amigo, e sim um servo. Lá o jovem o vampiro encontra alguns outros vampiros que não aceitam aquela situação de escravidão, e arma um plano para destruir Ivan. Duncan é muito inteligente e extremamente habilidoso, enquanto morou no território de Ivan, usou o seu tempo para se aperfeiçoar, com a ajuda de seus novos aliados. Após muita luta eles conseguem derrotar Ivan, e o Duncan toma até a última gota do seu sangue, sem nem parar para pensar no que isso poderia ter de consequência.

20171126_203958

A partir daí Duncan e alguns de seus companheiros iniciais e outros que apareceram ao longo do caminho, criam seu próprio clã, os Celticos. Juntos eles enfrentam diversas batalhas ao longo dos anos, e do livro, porém não só com vampiros, também com outras criaturas noturnas que vão aparecendo no decorrer das páginas. Além de batalhas temos novas conquistas, crescimento pessoal, amores, novas amizades e perdas.

20171126_204021

Fiquei apaixonada pelo livro do Enrico, que escrita inteligente, imensamente bem construída, e apesar de ser uma trama recheada de personagens, não deixam o leitor confuso de jeito nenhum, cada um tem sua peculiaridade e algo que nos marca muito. Foi muito interessante ver todo o crescimento de Duncan, com toda a sua força, com toda a sua inteligência, porém com aquela imaturidade e impulsividade juvenil, que pode ser que tenha se imortalizado com ele junto com sua vida. Obrigada Enrico, pelo livro, pela escrita, por me dar a oportunidade de conhecer esses personagens incríveis. ❤


Mais informações:

RESENHA: LIVRO APOCALIPSE – HERANÇA DE SOMBRAS LIVRO II (Obs: Contém spoiler)

Começo esse post com um tremendo frio na barriga. Não é novidade para ninguém que Luxúria, o livro I da séria Herança de Sombras é meu livro favorito da vida. Então vamos falar hoje sobre Apocalipse, o livro II dessa série, e que eu esperei durante um ano ansiosamente. Apocalipse foi escrito pela melhor, minha amada Juliana Bizzato, em uma publicação independente, e conta com 313 páginas de muito mistério.  Lembrando que essa resenha contém spoiler do livro I. Hoje eu vou tentar escrever uma resenha diferente, contando um pouco do que eu senti em cada parte do livro, não costumo fazer resenhas assim, mas não sei se conseguiria fazer diferente com este livro.

20171113_232132.jpg

Iniciamos o livro com um prólogo de tirar o fôlego, todas as dúvidas que invadiam a mente de Benjamin, toda a explosão de sentimentos, fazendo algo que sua cabeça dizia ser certo, mas seu coração não. Foi doloroso pensar junto com ele e ver tudo o que se passava na sua cabeça. Foi uma cena extremamente difícil de ler, ver todo o sofrimento da Sam, todo o desespero que ela sentiu naquele momento, o momento em que a pessoa que ela estava apaixonada, a pessoa que fazia com que ela se sentisse nas nuvens, pudesse matar ela em um piscar de olhos, sem nem ao menos perguntar ou a questionar, sem nem ao menos saber se ela era inocente ou não, de algo que até então ela nem sabia do que se tratava, foi difícil para ela passar por isso, foi difícil pra mim passar por isso junto com ela. De fato, Ben levou Sam aos céus para depois levá-la ao inferno.

20171113_232146

Sam não sabia que era uma bruxa, Ben não sabia que elas eram intocadas, e que a família dela estava sem poderes a séculos, uma grande confusão gerada por alguém do grupo de caçadores que tinha como motivação uma enorme vingança, passando acima de ordens maiores.  A partir dai os caçadores tomaram como missão protegê-las de um mal maior, mal esse que estava por trás de todas as mortes na ilha. Enquanto isso, Sam precisava controlar seus poderes.

20171113_232158

Sam viaja em busca de alguém que possa ajudá-la, e quando chega ao destino deixa toda a sua emoção transparecer nos seus poderes antes escondidos, no lugar mais belo e propício a isso, nossa amada Ilha da Magia, ah como é bom ler um livro com gostinho da nossa terra, do nosso cantinho preferido no mundo.

20171113_232209

Algumas pessoas importantes aparecem nesse ponto da história, como Hilária e os filhos dela, onde tem uma guerra de Sam para aprender a dominar seus poderes com eles, e de Ben em cuidá-la e não deixar que outras pessoas acabem tomando seu espaço. Sam e Ben passam por diversas provações nesse livro, incêndios estão incluídos é claro, no sentido literal e figurado.

Toda a família de Sam é afetada por essa nova vida, e todo esse poder respinga de alguma maneira em cada uma delas, algumas de maneira positiva, outras nem tanto assim, mas com certeza a pessoa que mais sofre nessa história toda é Samantha, quem além dos poderes precisa controlar seus sentimentos, emoções, amizades, família e o tempo as vezes. Um livro recheado de primeiras vezes e de muitas segundas chances.

20171113_232222

Eu queria falar mais sobre esse livro, de tudo que eles enfrentaram a partir daí, mas eu sinto que eu não seria justa com vocês, e faria com que perdessem o melhor desse livro, sentir a emoção em cada palavra escrita, cada frio na barriga, cada dor no coração, cada gargalhada de nervosismo, ou cada suspiro dado com um sorriso bobo nos lábios. LEIAM ESSE LIVRO, leiam os dois livros. Obrigada Ju, obrigada por ser essa mestre nas palavras, obrigada por nos deixar fazer parte deste mundo de magia e bruxaria, obrigada por encantar nossas vidas. ❤

 


Mais informações sobre o livro:

RESENHA: LIVRO DOCE AMARGO

Sabe aquele livro que te faz perder o ar? Então, vamos falar sobre ele hoje ❤

Doce amargo foi escrito pela maravilhosa Evelyn Santana, publicado pela Editora Coerência, e tem 441 páginas que te deixam com a impressão de estar em meio a um ataque de asma.

20171105_193828 

Sinopse: Melinda é uma garota que não conhece suas origens, tendo sido abandonada com pouco dias de vida em um orfanato, onde se apaixona por uma ilusão, um rosto em uma foto no jornal: Robert Blackwell, um promissor empresário que fez uma doação para o orfanato onde ela morava. Anos mais tarde, Linda consegue se reerguer, estudar e garantir um bom emprego na empresa de Robert. Um acidente faz com que se encontrem. A ganância dele os aproxima. E o amor sela tudo.

Melinda, ou Linda, é uma jovem com um passado extremamente triste, morou em orfanatos, foi mandada para vários lares temporários e não sabe nada sobre sua origem. Quando tinha 17 anos se apaixonou pela foto e pelo gesto de um empresário que doou uma grande quantia ao orfanato no qual Linda morava. Linda é insegura e, apesar de toda sua trajetória, vive uma vida regrada, centrada e com o coração fechado para balanço. Sua única família são os vizinhos Eva e Javier, avó e neto, respectivamente. 

Robert é um empresário rico e bem-sucedido, viveu parte de sua infância e adolescência em um internato, perdeu um irmão gêmeo em uma tragédia quando criança, a mãe nunca mais foi a mesma, cresceu vendo a irmã mais nova somente nas férias e o pai se tornou cada vez mais distante. Construiu seu império sozinho, sem a ajuda do pai. Quando o pai morre ele se vê diante de um grande desafio, mostrar para o pai morto que ele não está disposto a deixar a casa em que a mãe viveu para a madrasta e seus meio-irmãos. 

Quando Robert estava indo ver detalhes do testamento, acabou atropelando uma funcionária da empresa de que era dono, Melinda. Depois desse primeiro encontro, bem perturbador, a vida desses dois muda completamente, ambos tentando lutar por um sentimento que só crescia dentro deles, ela, por não acreditar que era capaz de seduzir alguém tão poderoso, não imagina que o amor estava batendo à porta, e ele, por ser tão metódico e controlador, não acreditava que a vida lhe daria uma rasteira amorosa. É, parece que o jogo virou, não é mesmo?!

“No fundo eu sabia que talvez o melhor para nós dois era deixar as coisas como estavam.”

Sabe aquele livro que te dá uma injeção de ânimo? Que você se ajeita na cama de tão empolgada com os carinhos que a história te faz, te fazendo vibrar, e, de repente, ele te dá um tapa na cara que te faz cambalear, cair no chão e chorar igual a uma criancinha? Pois é, bem-vindo à montanha russa do parque Doce Amargo. Que livro maravilhoso, eu simplesmente amei, e ele foi pra lista dos meus livros da vida, ocupando um espaço único e insubstituível no meu coração. Obrigada, Evelyn, pela leitura, pelos sentimentos, pelas risadas, pelas lágrimas. Eu sinto como se Robert e Linda fizessem parte da minha família, eu me importo com eles e me preocupo também. E você, leitor, que quer aquele tipo de livro que te faz sentir tudo que cada personagem está vivendo, se joga nessa leitura que você não vai se arrepender. ❤

20171105_194007-1

P.S: Que livro lindo, que diagramação maravilhosa, que capa perfeita, cada detalhe faz com que a gente se apaixone cada vez mais por essa preciosidade, tenho orgulho por ter Doce Amargo na minha estante. Mais uma vez, parabéns, Evelyn, e parabéns, Editora Coerência.


Quer comprar o livro?

 

INDICAÇÃO DE FILME: ANNABELLE I E II – MÊS DO HORROR

Minha primeira indicação de filme para esse Mês do Horror é o primeiro filme de Annabelle, para aproveitar o embalo e logo assistir Anabelle 2.

anabelle

Sinopse: Um casal se prepara para a chegada de sua primeira filha e compra para ela uma boneca. Quando sua casa é invadida por membros de uma seita, o casal é violentamente atacado e a boneca, Anabelle, se torna recipiente de uma entidade do mal.

Distribuidor:WARNER BROS
Ano de produção: 2014
Tipo de filme: longa-metragem
Eu gostei muito desse filme, sabe aquelas cenas que tão um frio na espinha? E o melhor é baseado em histórias reais. E após esse primeiro se joga para o cinema para ver Annabelle II – A criação do mal.

Sinopse: Anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amendrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão.

Distribuidor:WARNER BROS
Ano de produção: 2017
Tipo de filme: longa-metragem
Super recomendo o segundo filme também, um dos melhores dos últimos tempos.
mes-do-horror

RESENHA: LIVRO MEDO CLÁSSICO – MÊS DO HORROR

Iniciando mais um Mês do Horror por aqui, e não poderíamos deixar de iniciar pelo brilhante Medo Clássico, escrito pelo lendário Edgar Allan Poe, com uma publicação impecável feita pela DarkSide Books, com 369 páginas divididas em 20 contos, uma introdução maravilhosamente construída e um bônus com fotos da casa em que o escritor residia.

20171010_220836

Os contos do Poe são extremamente bem construídos e imensamente detalhados, cada conto te leva a imaginar cada cena de maneira minuciosa, transportando o leitor a viver todas as aventuras junto com cada personagem.

Os contos falam de mistérios, assassinatos, assombrações, criaturas fantasmagóricas e muito, muito suspensa. A cada frase escrita pelo autor faz com que você fique ainda mais sedento pelo fim da história, não conseguindo abandonar até o final de cada conto. É impossível detalhar aqui sobre o livro, por conta de se tratar de uma publicação de contos. Porém gostei mais e menos de alguns contos. Dois me chamaram mais atenção, uma deles A Queda da Casa de Usher começa quando o narrador chega a casa de um amigo que o escreveu relatando graves enfermidades, e ao chegar já começa a sentir uma enorme angústia, a partir daí coisas estranhas começam a acontecer, inclusive a irmão do amigo que está morta em uma espécie ritual pré enterro nos andares de baixo da casa. Toda a história contada nestas páginas são extremamente perturbadoras e te fazem querer que o narrados saia correndo dali. O segundo conto Berenice, onde Egeu casa-se com sua prima, a qual nutri enorme admiração, porém ela é assolada por uma doença, até então desconhecido, fazendo com que somente seus dentes fiquem saudáveis.  Após o enterro de Berenice, Egeo é acordado por um criado contando que o túmulo foi violado, quando o viúvo olha ao lado percebe que os dentes da esposa o acompanham ao lado da cama, dentro de uma caixa. A partir daí começam uma série de mistérios e medo.

Os contos que me chamaram menos atenção foram os do Detetive Dupin, são três ao total em um tipo de continuação, são três contos extremamente arrastados, o que me fez cansar um pouco, porém enquanto não terminei não sosseguei, e até acredito que a intenção do autor era exatamente essa. Amei o livro, a escrita em geral, principalmente por se tratar de histórias de medo sem muita fantasia, dando a impressão de que tudo realmente poderia ser real, e algumas coisas realmente eram.

MÊS DO HORROR 2017

Oiiii pessoal, e aí como estão?

mes-do-horror

Estamos dando início á mais um Mê do Horror aqui no blog, com resenhas de livros, impressões de filmes, TAG’s e algumas coisinhas a mais relacionadas a um dos meus temas preferidos. Vamos falar sobre bruxas, vampiros, assombrações e todo esse tipo de criaturas que regam nossos filmes e livros de tanto suspense e horror, e algumas vezes de muitas gargalhadas.